Pesquisar Apaes

Você deseja ir para qual instituição Apae? Clique nas setas para visualizar as opções.

Estado

Unidade

PROJETO VOLUNTARIADO PARTICIPATIVO

PROJETO VOLUNTARIADO PARTICIPATIVO

IDENTIFICAÇÃO

Nome: Voluntariado Participativo

Coordenação: Psicologia

Endereço: Avenida Prefeito Sincler Sambatti, 8973 – Jd. Bertioga – CEP: 87.055-405

Telefone: (44) 3255 2055

Email: carla@apaemaringa.org.br

JUSTIFICATIVA

O Brasil assiste a um movimento na sociedade que está modificando sua maneira de ver, entender e agir diante das questões sociais. O cidadão comum, consciente de seu poder transformador, vem se unindo a grupos, organizações sociais, causas, projetos e movimentos no intuito de melhorar o meio em que vive.

Pessoas doam uma parcela de seu tempo, de sua energia, de seu conhecimento e experiência em favor das causas sociais, pois se entende que não é possível falar em melhoria da sociedade sem passar pela participação de todos e de cada um neste processo. O serviço voluntário é uma oportunidade de exercício de cidadania e solidariedade, uma forma de participar e fazer a sua parte na construção de um mundo melhor e mais justo. A ação voluntária se reveste de uma importância que vai além do caráter paternalista ou simplesmente humanitário: assume sua real importância no sentido de mobilizar pessoas para uma causa que, ao mesmo tempo em que é única e individual, é também de toda uma comunidade. O exercício da cidadania já não se limita ao voto, mas se prolonga numa participação dos cidadãos na melhoria da qualidade de vida e, na construção de uma sociedade mais inclusiva e feliz.

O voluntariado promove o crescimento como pessoa e como cidadão e exige comprometimento e responsabilidade.

Preocupado com esse contingente que vem crescendo a cada ano, a APAE de Maringá elaborou um projeto que atendesse essa população, ao qual se deu o nome de Voluntariado Participativo.

O voluntariado deve ser a expressão livre da sociedade civil do exercício de uma cidadania ativa e solidária, cabendo a nós, enquanto entidade não governamental, apoiar e criar condições para que se efetive e de sensibilizar diferentes públicos-alvo. O voluntariado deve ser um processo de transformação, ultrapassando as fronteiras das associações.

PÚBLICO ALVO DA AÇÃO/PROJETO

Pessoas interessadas no voluntariado. O trabalho voluntário não exige especialidade nenhuma.

CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DO PÚBLICO ALVO

  • Triagem no setor de psicologia que acontece uma vez por semana, através de agendamento;
  • Ter mais de 18 anos;
  • Assistir a palestra de orientação ao trabalho voluntário oferecida pela instituição;
  • Preencher ficha de cadastro;
  • Apresentar: cópia do RG e do certificado da palestra e uma foto 3x4;
  • Passar por uma entrevista com o coordenador de voluntários da instituição;
  • Conhecer a instituição e as oportunidades de trabalho voluntário;
  • Receber o Manual do Programa Voluntário.
  • Assinar o Termo de Adesão anualmente;
  • Participar do treinamento e capacitação oferecidos pela instituição.
  • Passar por um período de experiência de 40 dias
  • Início sempre na primeira semana no mês;

ABRANGÊNCIA TERRITORIAL

Maringá

OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL

Identificar, captar, integrar e manter como voluntários, pessoas com disponibilidade e interessante para participar das atividades desenvolvidas pela instituição

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Incentivar a participação dos cidadãos em atividades voltadas para a melhoria da qualidade de vida da pessoa com deficiência intelectual e múltipla, numa verdadeira cidadania participativa, através de divulgação nas mídias sociais;

- Melhorar a qualidade de vida das pessoas, em busca da verdadeira cidadania participativa.

- Cadastrar voluntários e organizações sociais em um banco de dados;

- Reconhecer o valor e a importância do voluntariado incentivando os meios de comunicação a apoiarem atividades destinadas a sensibilizar o público sobre o voluntariado e o seu valor e impacto na sociedade;

- Difundir o conceito de voluntariado;

- Estimular a prática do voluntariado;

CAPACIDADE DE ATENDIMENTO

01 pessoa por setor

METAS

- Capacitação de voluntários, instituições e coordenadores de voluntários, com a promoção de palestras, cursos e seminários;

- Busca do aprimoramento do trabalho voluntário, numa visão de cidadania participativa com compromisso de resultados;

- Sensibilizar os cidadãos mais jovens para o voluntariado (escolas), em conjunto com outros intervenientes. Pretende-se, assim, contribuir para a formação de uma ”cultura de voluntariado” mais sólida e promover uma cidadania mais ativa e participativa;

- Fomentar a cooperação e articulação entre as instituições de ensino e as organizações de voluntariado, que deve ser incentivado através do desenvolvimento de ações/iniciativas conjuntas entre todos os intervenientes;

METODOLOGIA

O voluntariado é uma atividade de cidadania ativa, de intervenção junto das comunidades. Os voluntários, devem adotar uma postura ativa num sentido de alterar, denunciar ou auxiliar situações. Ser voluntário/a é, portanto, ser ativo na mudança daquilo que nos rodeia.

Mas para ser voluntário/a e assumir um papel ativo, é necessário assumir um compromisso assento no cumprir com assiduidade e empenho as suas funções no voluntariado. Só assim é possível estabelecer uma ligação e desenvolver a atividade de voluntariado que se rege dentro de regras. Não importa o tempo do compromisso. Pode ser de uma semana ou de um ano, “ser voluntário/a” é primeiramente, um ato de consciência e responsabilidade!

O voluntário deve ter as seguintes características:

  • Capacidade empática;
  • Responsável;
  • Solidário;
  • Amável;
  • Humilde;
  • Respeito e tolerância;
  • Flexibilidade;
  • Comunicativo;
  • Capacidade de adaptação e de aprendizagem;
  • Capacidade de iniciativa;
  • Capacidade de trabalhar em equipe;

O Voluntário deve ser:

  • Disponível: para as atividades que se propõe exercer, bem como para a realização de formação no âmbito das mesmas;
  • Motivado: é essencial para a continuidade das ações de voluntariado, assim como para o êxito destas ações.
  • Participativo: é imprescindível para a concretização de diferentes tarefas e para a dinamização da entidade promotora.
  • Comprometido com todos, principalmente com a entidade onde exerce voluntariado e com a população alvo da mesma.
  • Polivalente - a atuação deve ser diversificada, de forma a rentabilizar ao máximo os recursos existentes.
  • Apto e/ou Formado - deve ter uma formação específica ou especializada para a atividade que pretende desenvolver.
  • Cooperativo - ser capaz de trabalhar em equipa é fundamental para o êxito das atividades desenvolvidas pelas entidades promotoras.
  • Respeitador – dos códigos deontológicos, crenças/ideologias e politicas inerentes às entidades promotoras.

RECURSOS PARA O PROJETO SERVIÇO SOCIOASSISTENCIAL

RECURSOS HUMANOS

Carga horária

Qualificação profissional

Vinculo           

Ação que desenvolve

04h/semanais

Pedagogo

APAE de Maringá

Avaliar/estudar/elaborar/acompanhar/

04/semanais

Psicólogo

APAE de Maringá

Avaliar/identificar a demanda/orientar/acompanhar/encaminhar/

02h/semanais

Assistente social

APAE de Maringá

aconselhar/assessorar

02h/semanais

Administrativo

APAE de Maringá

Acompanhar/assessorar

DEMONSTRAÇÃO DA FORMA DE PARTICIPAÇÃO DOS USUÁRIOS E/OU ESTRATÉGIAS QUE SERÃO UTILIZADAS EM TODAS AS ETAPAS DO PLANO: ELABORAÇÃO, EXECUÇÃO, AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO.

Estimular e apoiar as necessidades de formação e capacitação dos voluntários que atuam neste setor, na perspectiva da criação de novos modelos de atuação e da melhoria de condições para o exercício efetivo do voluntariado.

Tem-se procurado o diálogo e a interação com os diversos protagonistas para que cada um, fazendo sua parte, aperfeiçoe suas potencialidades e contribua com o que tem de melhor para o resultado final que todos buscam: uma sociedade mais justa e feliz.

Neste processo, as instituições, as empresas e os interessados têm que estar em sintonia para captar o melhor da energia das pessoas que querem doar seu tempo, trabalho e talento a serviço da comunidade, de maneira responsável e definitiva.

Esta é uma oportunidade real para potenciar uma futura intervenção, de participação ativa numa comunidade, de favorecer a oportunidade de trabalhar em equipe, de trocar experiências, de fortalecer laços entre os agentes educativos, de desenvolver um melhor relacionamento entre os técnicos responsáveis e comunidade educativa.

REGIMENTO INTERNO

O voluntário é aquele que doa seu tempo, trabalho e talento em prol de uma causa em que acredita. Seu trabalho é complementar, mas essencial, pois adiciona ao serviço que a instituição, presta seu talento, amor e dedicação. Prestar um trabalho voluntário não é uma atitude casual, deve ser realizado com consciência, responsabilidade e comprometimento.

1. Conhecer e identificar-se com a missão e objetivos da instituição.

2. Ser assíduo e pontual nos dias definidos para o trabalho voluntário. Seu setor de atividades e seu horário são determinados em função de suas aptidões, disponibilidade, seus interesses evidenciados na entrevista e nas necessidades de cada área de atuação.

3. Notificar eventuais faltas com antecedência para sua substituição.

4. Comunicar seu período de férias ou afastamentos com antecedência.

5. Não faltar a reuniões e cursos para os quais for convocado.

6. Cumprir com atenção todas as tarefas do descritivo de suas funções como voluntário.

7. Aceitar supervisão, controle e eventuais críticas de seus coordenadores.

8. Trabalhar em harmonia com a diretoria, a equipe contratada, sua equipe de voluntários e com as demais equipes.

9. Usar telefones e computadores somente para tarefas ligadas ao trabalho voluntário.

10. Não usar o nome da instituição, para angariar fundos, pedir donativos, obter regalias.

11. Não são permitidas vendas de qualquer espécie, arrecadação de valores e abaixo-assinados, no ambiente de trabalho ou em nome da instituição

.12. Manter atualizados endereço, e-mail e telefone.

13. Não dar declarações à imprensa ou participar de palestras, debates, etc., sem autorização prévia da diretoria da instituição;

14. Em caso de afastamento ou desligamento, comunicar com antecedência à coordenação de voluntários.

15. Em eventos na instituição, ou promovidos pela instituição, não divulgar ou fazer propaganda de negócios próprios ou oferecer serviços particulares.

16. Quando representando a instituição jamais divulgar outros serviços ou produtos, nem distribuir folhetos, propagandas ou outros meios de divulgação de atividades que não as da instituição.

17. Todas as ocorrências, críticas e sugestões devem ser levadas à Coordenação, que irá providenciar as soluções ou modificações necessárias.

A discordância ou o descumprimento das normas acima acarretará o afastamento ou desligamento do voluntário.

DIREITOS

  • Conhecer a instituição e receber informações sobre suas atividades e programas;
  • Participar das oficinas, encontros, eventos e cursos oferecidos pela instituição;
  • Conhecer a área onde atua;
  • Receber apoio, treinamento, supervisão e avaliação da atividade que desempenha;
  • Ser ouvido;
  • Ter oportunidades para desenvolver suas potencialidades;
  • Receber orientação, encorajamento, reconhecimento e referências de seu desempenho;
  • Sentir-se parte integrante da instituição;
  • Ter um ambiente de trabalho favorável;
  • Ser reconhecido e tratado como alguém que coopera e faz parte da equipe;
  • Ser designado para um trabalho adequado e que satisfaça suas expectativas;
  • Assumir responsabilidades crescentes e funções

LEI DO SERVIÇO VOLUNTÁRIO

Lei nº. 9.608, de fevereiro de 1998.

Dispõe sobre o serviço voluntário e outras providências.

O Presidente da República:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º. Considera-se serviço voluntário, para fins desta Lei, a atividade não remunerada, prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza ou instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade.

Parágrafo único: O serviço voluntário não gera vínculo empregatício nem obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim.

Art. 2º. O serviço voluntário será exercido mediante a celebração de termo de adesão entre a entidade, pública ou privada, e o prestador do serviço voluntário, dele devendo constar o objeto e as condições do seu exercício.

Art. 3º. O prestador de serviço voluntário poderá ser ressarcido pelas despesas que comprovadamente realizar no desempenho das atividades voluntárias.

Parágrafo único: As despesas a serem ressarcidas deverão estar expressamente autorizadas pela entidade em que for prestado o serviço voluntário.

Art. 4º. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5º. Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, 18 de Fevereiro de 1998; 177 da Independência e 110 da República.

Fernando Henrique Cardoso

Paulo Paiva

(Publicado no Diário Oficial da União de 18/02/98)

PROGRAMAS DE VOLUNTARIADO

Sugestões para Reconhecimento e Valorização do Trabalho Voluntário

Agradecimentos formais:

1. Eventos para os voluntários com Diretoria da instituição;

2. Certificado de reconhecimento / agradecimento;

3. Camiseta e/ou botton do programa;

4. Carta de agradecimento para a família, assinada pela diretoria da instituição.

5. Parcerias para realização de cursos de capacitação para a atividade voluntária (comunicação, fotografia, dinâmicas de grupo, como contar histórias).

6. Indicação de voluntários para falarem com a imprensa, divulgando o trabalho de voluntariado participativo;

10. Carta de agradecimento;

11. Divulgação das ações do voluntário ou de determinadas equipes de voluntários nos meios de comunicação internos e externos;

12. Comemoração do dia do voluntário na organização.

  • 28 de agosto - dia nacional do voluntário
  • 05 de dezembro - dia internacional do voluntário
  • Definir dia/semana para ser comemorado na organização

O reconhecimento deve ser:

  • Merecido
  • Contínuo
  • Criativo
  • Inovador
  • Divertido
  • Variado
  • Amplamente divulgado

O PAPEL DO COORDENADOR DE VOLUNTÁRIOS

Monitorar e avaliar o Programa de Voluntariado. Um programa de voluntariado bem estruturado evita conflitos e confusões, fazendo com que o trabalho voluntário seja realizado de forma eficiente e prazerosa.

NA ADMISSÃO DE NOVOS VOLUNTÁRIOS:

  • Diagnosticar junto com as áreas a necessidade de voluntários;
  • Recrutar e Selecionar os voluntários.

NA INCORPORAÇÃO DO VOLUNTÁRIO:

  • Incorporar os novos voluntários e integrá-los à equipe;
  • Orientar e treinar os voluntários.

NA MANUTENÇÃO DO VOLUNTÁRIO:

  • Motivar os voluntários;
  • Supervisionar e avaliar os voluntários:
  • Administrar conflitos;
  • Valorizar o trabalho dos voluntários.

NO DESLIGAMENTO DO VOLUNTÁRIO:

  • Dar atenção aos motivos do desligamento quando parte do voluntário;
  • Informar e justificar o motivo do desligamento.

A COMUNICAÇÃO:

É instrumento muito importante para integração e motivação do voluntário. Para que seja eficaz deve ser realizada de forma clara, objetiva, transparente e atualizada. Pode-se utilizar diversos canais, como por exemplo:

  • BOLETINS
  • QUADRO DE AVISOS
  • INTERNET
  • MURAL
  • JORNAL
  • EVENTOS
  • REUNIÕES

Para que possa desenvolver eficientemente suas atividades, o coordenador de voluntários deve possuir o seguinte perfil:

  • Capacidade para relacionar-se com as pessoas;
  • Capacidade de comunicação;
  • Habilidade para ouvir e envolver o grupo;
  • Habilidade para trabalhar em equipe, integrando-se a essa equipe;
  • Habilidade para planejar, organizar, delegar trabalho e supervisionar projetos;
  • Capacidade para refletir sobre suas práticas e conceituar suas ações;
  • Capacidade para gerar e motivar mudanças;
  • Habilidade para captação, recrutamento e motivação de novos voluntários;
  • Habilidade na negociação e resolução de conflitos;
  • Habilidade de liderança democrática;
  • Capacidade de decisão;
  • Capacidade de articulação com outras Organizações Sociais.

SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

A avaliação continua e diária com objetivo de sucesso no trabalho dos voluntários.

Endereço:
Avenida Prefeito Sincler Sambatti, 8973 • Maringá • PR
E-mail:
julio@apaemaringa.org.br
Telefone:
(44) 32552055